quinta-feira, 5 de março de 2009

Morre Tião do Carro



Cantador, Violeiro e Compositor, João Benedito Urbano (Tião do Carro) nasceu em Vargem Grande do Sul-SP no dia 17/01/1946 e faleceu dia 28/02/2009, vítima de infarto, no Hospital da PUC de Campinas-SP, onde estava internado. O corpo foi enterrado no cemitério São João Batista, na cidade de Valinhos.
Formou dupla com Mulatinho, gravou viola nos discos de Tião Carreiro e Rolando Boldrin. Foi uns dos violeiros que mais gravou e criou ponteados em gravações de estúdio , fez um disco em 1980 “Uma Viola na Saudade”.
Autor de belíssimas composições tais como "Capiau" (José Caetano Erba - Tião do Carro), "Francisco de Assis" (Tião do Carro - Caetano Erba), "Reza Povo" (Tião do Carro), "Garganta do Mundo" (Tião do Carro - Caetano Erba), "Amigo da Onça" (Zé Mulato - Tião do Carro), "A Mulher do Cachaceiro" (Moacyr dos Santos - Tião do Carro), "Bolha de Sabão" (Tião do Carro - José Caetano Erba), "Coração Redomão" (Tião do Carro - Moacyr dos Santos), "Cortina Dourada" (Tião do Carro - José Caetano Erba) e "Procissão de Gado" (Tião do Carro - José Caetano Erba - Xavantinho), apenas para citar algumas, Tião do Carro deixará sem dúvida um enorme vazio na Música Caipira Raiz.
Abaixo, um depoimento emocionado de César Menotti, da dupla César Menotti e Fabiano, postada na internet:
"Conheci Tião do Carro ainda na minha infância, quando, junto com meu pai, frequentava o Café dos Artistas, ali na rua Vitória, próximo à praça Júlio Mesquita no centro de São Paulo. Passaram-se os anos, deixei a casa de meus pais em BH e fui morar sozinho em São Paulo, sobrevivendo da música, tocando viola pelos bares da vida. Ainda não cantava profissionalmente com Fabiano.
Mas o que quero dizer é que em uma certa ocasião, passei na porta do bar do Seu Antônio e encontrei o saudoso Pagodinho (Oreco), que na época fazia dupla com Tião do Carro.
Ficamos ali conversando e então mostrei a ele uma letra de uma moda de viola que eu tinha escrito havia pouco. Na época eu tinha 17 anos. Ele gostou muito, pegou o papel da minha mão e pediu que eu o deixasse colocar melodia na letra; e pra minha surpresa ele colocou a melodia e gravou a música com o Tião do Carro no CD da dupla.
Essa foi minha primeira experiência como compositor e fiquei muito honrado por saber que uma letra despretenciosa minha ia ser interpretada por nada menos que Tião do Carro e Pagodinho.
Bom, hoje tenho músicas gravadas por outros colegas, mas sempre me emociono quando escuto minha canção na voz dessa dupla. A música se chama Sentença da Paixao, acho que não a tenho mais comigo, mas vou tentar conseguir pra postar pra vocês.
Fica aqui o meu sentimendo, e que o Espírito Santo possa trazer consolo aos familiares do meu saudoso amigo Tião do Carro."


18 comentários:

  1. A Cultura perde um grande poeta, compositor, violeiro, aliás, na minha opinião o maior violeiro do Brasil, Tião do Carro. Tião do Carro é João Benedito Urbano, meu primo. João era filho do tio Antônio Urbano, irmão de minha mãe Aparecida Urbano, portanto, primo irmão. Eu o conheci de perto, convivi com ele, posso dizer com clareza de fatos que ele era um enorme coração, tinha a bondade por excelência em sua vida, jamais negava ajuda a quem pedia e eu me encantava por suas inúmeras virtudes. Sua poesia era ímpar, ele declamava e chorava quando fazíamos guerras de trovas e poesias; sinto tristeza quando penso que não poderemos mais fazer nossos saraus a dois, sim, porque eu topava os desafios e quando ele chegava em minha casa, nem almoço tinha, só tinha conversa... conversa... conversa... Precisávamos pedir marmitex. Tempo bom! Tião do Carro tinha muita história, tinha conteúdo, era apaixonante "proseá" com ele, era muito crítico em relação aos poetas, discursava durante longo tempo sobre a pobreza ou a riqueza de algumas letras. João, Tião do Carro, era 8 anos mais velho que eu, mas mesmo assim ele participou de boa parte da minha juventude, era muito amoroso e sempre visitava a tia Cida, minha mãezinha querida e nessa época ele já tocava, cantava em bares, clubes, tinha muitos sonhos e conseguiu realizar alguns. A família sempre reunia para assisti-lo na TV Cultura ao lado de Inezita Barroso, Rolando Boldrin, Jackson Antunes e tantos outros artistas. Ele será para sempre o nosso ícone no cenário da Viola Caipira, objeto de adoração dele, as violas sempre ficavam "repousando" de costas no tapete da sala da casa dele em São Paulo. Grande irmão, talento ímpar que só quem conviveu com ele pode dizer com verdades e finalizo este texto contando que o nome Tião do Carro, que era e sempre será sua alcunha, nasceu quando ele comprou seu primeiro carro e ia paquerar a namorada, sua amada em um ponto comercial da cidade, onde ela trabalhava. Descanse em Paz primo querido e amado, faça muitos saraus aí com os que voce aprova, sim, porque sempre foi exigente, vaidoso na arte das letras. Que Deus o acolha no céu, nós oramos por voce, estaremos sempre tocando os seus CDs para ouvir sua voz. Um dia estaremos todos juntos, a igualdade dos homens é a sepultura, porém, o que nos diferencia são as obras, as lições que nós deixamos, sem dizer uma só palavra; o exemplo fica. Hoje, a Rádio Nova Guaçu fez uma linda homenagem nas vozes de Belini e Junior, essa rádio é online, foi para o mundo inteiro e tomara que voce tenha ouvido daí, sempre foi conectado, acredito que ouviu e nessa linda homenagem eles relataram que somos primos, valeu! O Universo recebeu as palavras e retornará para nós em forma de poesia e quase posso ver voce "brindando com os anjos na taça". Deus o acolha e proteja em misericórdia e bondade que foi sempre a sua maior virtude. Amamos voce eternamente meu querido irmão.
    Da mana-prima de coração Fátima Fílon

    ResponderExcluir
  2. Tiao do Carro foi sem duvida, um grande artista, violeiro e compositor, e o mais importante de Tiao é que sem duvida inventou seu propio estilo, aquele estilo que todos diziam, que cantava mole, que nao sei oque, mas a verdade mesmo é que colocava muito sentimento em tudo que fazia, eu particulamente me emociono em tudo que ouço do saudoso Tiao, sou um sertanejo feliz , por ter conhecido ele, tive amizade, e tive o prazer de mostrar minha dupla a ele , e inclusive cantar suas cançoes nas nossas vozes, para el ouvir, fica aqui minha homenagem ao grande "Joao Benedito Urbano", o "Tiao do Carro", vai com DEUS Tiao , que aqui levaremos suas cançoes eternamente, no coraçao e no peito de quem tem alma caipira, e obrigado por vc fazer parte de nossa cultura Brasileira, fique tranquilo de onde estiver , porque enquanto tivermos saude e inspiraçoes para compor, defenderemos a nossa musica caipira , até o fim de nossos dias!!!!!!

    Julio Seda e Rafael(Sao Joao da Boa Vista)

    ResponderExcluir
  3. Ah Tião...
    Quanta saudade você deixa por aqui..
    Eu conheci o Tião em 1998, quanto tinha 15 anos. Foi quando decidi que queria aprender a tocar viola. Foi uma luta incrível conseguir algum lugar (ou escola) para aprender, até que um dia minha mãe (que na época me ajudava nessa busca) ouviu um violonista dizer que viola era "diferente", e que "não se aprendia isso em sala de aula! Para aprender viola é preciso achar um mestre que queira ensinar o que sabe..."
    Esse mesmo violonista era amigo do saudoso Xavantinho, e passou o seu telefone para que pudéssemos entrar em contato. O Xavantinho disse que não podia ensinar, mas conhecia um grande violeiro que talvez o pudesse, e foi ai que o Tião entrou na minha história.
    Ao ligarmos para ele, disse que não era tão simples assim, e que precisava "conhecer o garoto".
    Combinamos, então o tal encontro, e ele veio me conhecer. Com um jeitão simples e engraçado conseguiu me fazer sentir a vontade naquele encontro. Perguntou-me por que eu queria tocar viola e algumas coisas mais sobre o que eu fazia. Pedi que tocasse minha viola para eu ouvir (na época tinha uma violinha simples da Del Vecchio). Quando começou fiquei emocionado!! Eu nunca tinha ouvido uma voz tão forte bem na minha frente, e nunca imaginei que pudesse sair aquele som da minha violinha!!
    A partir de então comecei a encontrá-lo todo domingo na sua casa, quando morava ainda na Vila Maria, em São Paulo.
    Tentei absorver tudo o que o mestre tentava me passar. Tocamos muitas modas juntos, e jogamos muito papo pro ar também!
    Não consegui manter esse contato próximo durante o tempo que eu desejava, pois, na época eu estava terminando o colégio, e estava a beira do vestibular de medicina.
    O ano de 2000 foi um pouco corrido, e, sem que nos dessemos conta, a vida nos afastou por um tempo...
    Durante esse tempo tentáva não parar de tocar a viola, pois o Tião dizia que "se a gente larga a viola, a viola larga a gente". E ele tinha razão...
    Poucos anos depois, ao tentar reaproximar do Tião, não conseguia acesso pelo telefone! Procurei pela internet e listas telefonicas, e nada... Mesmo quando o vi no Viola, Minha Viola, o número para contato "não existia"!! Comecei a desanimar...
    No ano de 2008 minha mãe disse que tinha uma surpresa para mim, e me entregou o um número de celular, dizendo que era do Tião!
    Fiquei ansioso e assustado, ao mesmo tempo de ligar para meu Mestre, e saber como estava, se estava bem de saúde, o que tinha feito todo esse tempo, pedir desculpas pelo meu "sumiço", e contar sobre a minha vida de médico!!
    Ao ligar, ouvi a voz doce da dona Edimeris. Foi ai que o Tião veio ao telefone!! Foi uma emoção muito grande poder ouvir sua voz novamente, e logo, combinamos o reencontro.
    Foi num sábado de manha do mês de Outubro que eu fui para Valinhos, onde Tião estava morando. Entrei na casa gostosa, o "meu cantinho", como o Tião disse. Lá estava ele, me esperando na varanda!
    Foi um momento de muita emoção e de muita luz! Foram horas de muita prosa e algumas modas, como antigamente! Ganhei seu CD novo, que viria mais tarde ouvindo durante minha volta para São Paulo.
    Prometi ao Tião que nos reencontraríamos em breve, e que agora eu não "o perdia" mais!
    Nos falamos desde então pelo telefone. Sabendo do seu sofrimento do lado de lá por achar que estava envelhecendo, e que não era mais o menino ágil que ponteava aquela viola vermelha, eu sofria do lado de cá...
    Foi quando, após ouvir sua moda na rádio Terra, recebi a mensagem que o Tião tinha nos deixado....
    Mantenho contato, e profunda admiração por dona Edimeris... e uma enorme tristeza por não ter mais o Tião conosco...
    De fato, foi uma honra, um privilégio muito grande e uma alegria ter convivido com você, Mestre. Um homem que tinha o coração maior do que o corpo. Me sinto abençoado por você fazer parte da minha história!
    Hoje sou médico ortopedista, violeiro, e tenho muita saudade do meu amigo e Mestre João Benedito Urbano, o Tião

    Felipe Galvão A. de Abreu (São Paulo - SP)

    ResponderExcluir
  4. gostaria que alguém me mandasse a letra da música "meu pai" para o email jsamuel@ig.com.br
    Obrigado.

    ResponderExcluir
  5. grandre Tiao do Carro, pra mim era mais que um exelente cantor e compositor e um tio muito amado tiao era o irmao do meu pai o toninho como ele o chamava posso diser que era um grande homem de um coraçao enorme e de um talento valiosissimo adorava uma proza eu o chamava de cabloco e ele ria e dissia lembra quando teu pai ainda era vivo e a gente se reunia la na casa velha e chorava de saudades do meu pai ." tio sempre foi e sempre sera amado em nossos coraçoes fica com deus andrea urbano "

    ResponderExcluir
  6. Foi uma dor muito grande quando recebi a notícia da morte do Tião, que pra mim juntamente com João Mulato, depois de Tião Carreiro são os maiores.Moro próximo de Valinhos e quando passar por lá irei fazer uma visita na sua última morada.Um abraço a toda família de um fã incondicional.Reginaldo Aparecido Bernardo

    ResponderExcluir
  7. É com tristesa e espanto que recebo agora a notícia da morte do inigualável Tião do Carro e vejo que já tem um tempo que ele nos deixou.Triste e emocionado,sinto que os meios de comunicação de um modo geral sequer noticiaram o falecimento deste grande poeta brasileiro.O que me preocupa cada vez que perdemos um compositor desta natureza é que não há substituição a altura e a nossa música raiz fica mais pobre a cada falecimento.Que Deus na sua infinita bondade console toda a família e possa dar um bom lugar a este poeta fantástico que foi Tião do Carro.

    ResponderExcluir
  8. Ao (João Benedito Urbano) Meu amigo, meu irmão e já não bastasse tudo de nossa amizade, nasce minha filha, e assim fomos compadres, Apadrinhou minha filha(Vanilce E. Da Silva).
    Eu e minha familia sentimos muito pela seu falecimento, perdemos um pedaço de nós, porque minha familia tambem compartilhou dessa nossa amizade.
    Fazendo shous(tião do carro e mulato e Carreirense e Tião coqueiro).
    Deixo para todos os que gostavam do seu trabalho, um pedido á DEUS que conforta o coração dáqueles que precisam de sua força.
    Do seu sempre amigo: Arnaldo J. da Silva. (carreirense)

    ResponderExcluir
  9. ESTAMOS PERDENDO NOSSOS IDOLOS,ESTE É MAIS UM, QUE SAUDADES,QUE VC ESTEJA NOS BRAÇOS DE DEUS. agerson moreira

    ResponderExcluir
  10. Primeiro se foi o Pagodinho, agora o Tião do Carro. É verdade, a música caipira aos poucos vai ficando cada vez mais empobrecida a cada partida de um de seus representantes maiorais.

    ResponderExcluir
  11. sou afilhadodo saudoso tiao do carro...por nao morrar mais em sao paulo fiquei sabendo depois de um tempo a sua morte!!!familiares amigo da familia que tiver comtatocom seu esposa edimeres(minha madrinha)por favor me mande pois perdi o cantato ja tem auguns anos...
    diegofaganelli@hotmail.com

    ResponderExcluir
  12. Tião do Carro para nós não foi apenas a morte de um grande violeiro mas a perda de um grande amigo. Pois poucos sabem mais nos falavamos por telefone todos os dias. Cantava para mim por telefone, pedia opinião sobre as novas canções, ensinava receitas de remedios caseiros. Enfim era uma pessoa maravilhosa, simples, amiga e companheira. Fica aqui a minha eterna saudade...

    Marta Rita da Silva. Itajubá - MG

    ResponderExcluir
  13. dario disnei david21 de janeiro de 2012 20:42

    lamento o falecimento do meu amigo e irmao de fé tiao do carro;um grande sacerdote e babalorixá ; ele era nosso filiado ;saudaçoes de dario disnei david ;diretor presidente da ´fecucab -federaçao de cultos de umbanda e candomblé do brasil ;

    ResponderExcluir
  14. com muita saudade e emoçao, pesso a Deus que dê força a familia de Tião do Carro, grande compositor que o Brasil setanejo rais perdeu voce estar com Deus e nos com saudade, saudade daquela viola vermelha,que eu assistia voce tocando e cantando no programa da Enezita todos os domingos, ate hoje eu assisto e sempre lembrando de voce amigo.

    ResponderExcluir
  15. DESCULPE ESQUECI DE DEIXAR MEU NOME NESTE COMENTARIO ANTERIO OBRIGADO.ISAC GONÇALVES DE LIMA DOURADOS MS

    ResponderExcluir
  16. Estamos falando de um dos maiores compositores caipira, que graças a Deus eu vi e ouvi cantar, suas composições são de uma profundidade imensa, adoro todas as músicas composta por ele, e gostaria de pedir um favor para a prima dele Fátima Fílon, só tenho um CD dele com o Santarem e se fosse possível gostaria de comprar todos os CDs que ele gravou até sua morte, vou deixar o meu e-mail......grande abraço e meus sentimentos para a familia.
    Ludecir José dos Santos - São Paulo.
    e-mail: ludecir@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  17. tião do carro foi e é o maior violeiro que já vi

    ResponderExcluir
  18. Eu sou o Laércio mora em Vargem grande do Sul. Meus pais além de ter conhecido Tião do carro na infancia , meu pai Benedito Crdeiro tem um parentesco de 2grau com o João Benedito nome que eles o conheceram na infancia. Minha mãe Virgina me conta que viveu proximo a ele até mais ou menos uns 12 anos de idade , na fazenda Paineiras onde Tião do Carro avó pois perdeu sua mãe logo cedo. Ela me relata ainda que desde cedo Tião do carro era muito inteligente e esperto. Minha ma~e frequentava uma escola num a fazenda vizinha junto com Tião e me disse algo muito engraçado , que Tião gostava de fugir da escola, sempre que pedia para apontar o lápis fora da sala de aula ele fugia e ia pra casa do seu pai que morava numa fazenda mais distante. Me sinto orgulhoso em saber que este artista tão talentoso esteve bem proximo de meus pais. Com certeza ele muito bem lá no céu pois cumpriu sua missão aqui na terra.

    Vargem Grande do Sul - SP 26/11/2012 LAÉRCIO CRDEIRO

    ResponderExcluir